PETIÇÃO
REDE CICLÁVEL NA BAIXA
1337

Número total de assinaturas (já limpo dos dados incompletos ou com potenciais erros)
1190

As assinaturas digitais. São 150 assinaturas necessárias para entregar uma petição à Assembleia Municipal de Lisboa.
147

As assinaturas que recolhemos à mão nas ruas da Baixa.

Exmo/a Presidente/a da Mesa da Assembleia Municipal de Lisboa,


Pedimos a criação de uma rede de ciclovias seguras na Baixa de Lisboa.

Escolhemos andar de bicicleta mas temos medo de passar na Baixa Lisboeta, pois somos obrigados a fazê-lo no meio do trânsito, rodeados de carros que buzinam e ameaçam a nossa vida. Temos constantemente medo de cair nos buracos, medo de cair nos carris das linhas do elétrico. Sentimo-nos totalmente inseguros.

A Baixa é o coração da cidade que liga os bairros de Lisboa ao Rio Tejo. Representa a nossa identidade e é o nosso ponto de encontro. Aqui misturamo-nos todos: quem visita e quem cá mora, quem está em negócios e de férias. É a parte mais apetecível desta cidade, que deve ser segura, humana e acolhedora para todos.

Queremos ciclovias na Baixa Lisboeta porque queremos andar em segurança entre os principais eixos da cidade:

Norte - Sul:
  • Uma ciclovia na Avenida de Liberdade para unir a Avenida da República ao Rossio
  • Uma ciclovia que una o Rossio e a Praça da Figueira ao Cais das Colunas
Este - Oeste:
  • Uma ciclovia que una o Campo das Cebolas à Ribeira das Naus

Criar estas ciclovias significa proteger as nossas vidas, a nossa saúde, o nosso ambiente e a nossa riqueza cultural. Criar estas ciclovias, é um passo para a Lisboa do futuro.

Signatários: Pedro Ramos, Lisboa Possível


7 fevereiro 2022



Lançámos a petição - 7 fevereiro 2022

A petição nos meios de comunicação

Jornal de Noticias
23 Fev 2022

Entregámos a petição - 27 abril 2022

Rita Prates (com assinaturas em papel), Ksenia Ashrafullina (assinaturas digitais) e Pedro Ramos antes de entrar na Assembleia Municipal de Lisboa para entregar as vossas vontades.

Versão um bocado mais realista do acontecido
A hora do trabalhador começar a trabalhar já passou várias vezes.

Naquela altura do dia, quando os cafés já começam a arrumar as últimas chávenas matutinas para as mesas darem espaço ao iminente almoço, o único ocupante da Assembleia Municipal era o agente. Mais um dia ao serviço da cidade perdia-se na eternidade da paz burocrática.

Ao reparar que os três iam interromper as suas palavras cruzadas, o agente declarou que não era aqui. Que se calhar ali sim, perguntem lá, mas aqui não. Ao dizer isso começou a tomar nota que dos três, duas eram raparigas. A cor daquela que falou era diferente. Branca demais para estas geografias.

- De onde é que a menina é? - alçou-se, dando um abraço disfarçado de um empurrão no ombro.
- Queremos entregar a petição. Quer ver as nossas identidades, e subimos ao segundo piso?
A pergunta não alterou a resposta. Tiveram que ir ali, que não era aqui.

O Fórum Lisboa, que acontece na porta ao lado, é um clássico monumento ao procedimento estatal. Não se salta a obrigatoriedade de uma senhora recepcionista: recebe tudo, e engaveta também.

- As petições aqui é que não, mas podem deixar na mesma.
- Rita, distrai lá o agente e tentamos entrar outra vez na assembleia.

Nem foi preciso: as necessidades do corpo esvaziaram a mesa do agente, e os três subiram ao segundo piso do prédio, que entretanto foi preenchido de mais um ser - o funcionário.

- Não deviam ter falado com o policia, percebem é de pistolas e cassetetes. De onde é que vêm?
- Eu, da Graça, sorriu a Rita.

Por fim, a impressora materializou as mil e mais assinaturas digitais, e carimbadas ficaram.

Apresentámos a nossa petição na Assembleia Municipal de Lisboa - 3 junho 2022

Ksenia Ashrafullina, Diogo Machado, Rita Prates e Pedro Ramos preparámos estes slides. Escolhemos apelar aos nossos direitos de liberdade e segurança, tal como nos garante a Constituição da República Portuguesa no artigo 27, porque ciclovias não devem ser um assunto partidário. Nenhum deputado adormeceu :)

Resposta oficial do Ângelo Pereira, vereador da mobilidade, à nossa apresentação da Petição na Assembleia Municipal de Lisboa - 13 setembro 2022

Resposta que recebemos no dia 13 de setembro 2022

O processo da petição vai durar meses. Continuamos a recolher assinaturas.

A nossa newsletter pode conter poesia...
Só enviamos a newsletter quando temos algo importante e fascinante para dizer: precisamos que assines uma petição, que apareças numa manifestação ou queremos ver-te no nosso próximo encontro com alguém incrível e inspirador. Também contamos sobre o que fazemos, com entusiasmo, mas não acredites antes de verificar este exemplo.
Queres ajudar?
quero@lisboapossivel.pt